Coreia do Sul | Byuti insaideu/The Beauty Inside (2015)

9.11.2016

Olá a todos. Para quem não me conhece eu sou a mais nova colaboradora aqui do Serão no Sofá. Sou a Chris e também tenho um blog e um canal chamado Diário da Chris. Hoje decidi iniciar-me por estes lados com uma opinião de um filme, o "The Beauty Inside". A primeira vez que ouvi falar deste filme foi há relativamente pouco tempo e quando me disseram que era inspirado no livro "Every Day" do autor David Levithan soube logo que o tinha que ver.
"The Beauty Inside" conta a história de um rapaz que aos 18 anos simplesmente do nada começa a mudar de figura. Todos os dias ele acorda no corpo de outra pessoa. A personalidade e o interior são dele, apenas o exterior muda. Ora para um rapaz de 18 anos, na flor da idade é com certeza algo bastante assustador e limitador. Apenas a mãe dele e o melhor amigo sabem e ele vive "relativamente" bem. Consegue manter um emprego, ainda que secreto, como carpinteiro, tendo uma viva social razoável, e sendo feliz na medida do possível. Até ao dia em que ele se apaixona. 
A principio tudo parece correr bem porque ele consegue manter a mesma aparência por alguns dias. Só que um dia ele adormece e acorda noutro corpo e é aí que as coisas se complicam. Amar alguém vai muito além da aparência. Amar alguém significa a partilha de algo mais do que apenas o corpo. Mas se para o amor isso basta, para a sociedade não, e alguém que muda de aparência todos os dias torna qualquer tipo de relação algo bastante complicado. 


Na verdade o filme é uma cópia quase integral, da série com o mesmo nome norte americana, produzida pela Intel e pela Toshiba numa forma de levar o espectador também para a tela. Isto porque em ambos os filmes o protagonista grava a sua cara todos os dias, numa forma de registar a sua mudança. A Intel e a Toshiba fizeram até castings através do Facebook para assim recrutarem pessoas comuns para participarem no filme.  

Como não vi o filme, ou a ideia, que deu origem a este filme não posso abordar esta opinião por esse lado. Posso apenas dizer que gostei muito deste filme. A história está muito bem construída, ao ponto de se acreditar que aquilo que acontece ao protagonista pudesse acontecer a qualquer pessoa. Tal como sofrer com os dilemas de ambos os lados. Do protagonista por, pela primeira vez, se ter apaixonado e ver que é quase impossível viver esse amor, como pelo lado da sua amada que vê impossível esse amor também por a sociedade não estar preparada para uma pessoa como ele. O engraçado neste filme é que o protagonista encarna literalmente diversas pessoas e essas mesmas pessoas o encarnam a ele, e quer ele fosse novo, velho, um homem, uma mulher, bonito, menos bonito, a personalidade do personagem principal esteve sempre lá, e isso deu profundidade ao filme. Posso se calhar afirmar que gostaria de ter visto mais aprofundado o dilema do protagonista à medida que o filme avança. Acabamos depois por perceber que o roteiro acaba por dar mais ênfase ao lado feminino da questão e como ela vai ou não aceitar toda aquela situação.

Gostei muito do filme, apesar de o cinema asiático ainda não ser o meu forte, a ligação ao livro "Every Day" conquistou-me. Não sendo uma adaptação a ligação de ideias fez com que eu voltasse aos dias em que li aquela história. Os actores encarnaram bem as personagens e transmitem ao público todas as sensações que estão a sentir. Percebemos bem os seus dilemas e compreendemos como se nós mesmos pudéssemos passar por eles. E esta é sem sombra de dúvidas uma das partes do cinema asiático que me tem vindo a surpreender, porque o povo asiático é conhecido pelo seu lado mais frio e os filmes e séries que tenho visto têm vindo a desmistificar um pouco isso. Não são tão emotivos, para o bem e para mal, como nós, mas também não são tão frios como imaginava.


É um filme asiático, mais propriamente Sul Coreano, e por isso é para mim ainda um bocadinho estranho habituar-me aos seus costumes, língua, forma de falar. Não são completamente diferentes de nós, mas são pequenos detalhes para os quais nem sempre estamos habituados e que ainda causam alguma estranheza. Fora isso é uma cultura cinematográfica que cada vez mais me tem chamado à atenção e que diria estar bem ao nível de qualquer indústria ocidental. Actores muito competentes, fotografia e realização muito boas, e é por isso também que recomendo muito este filme.

No fundo, o filme transmite a ideia de que o amor é acima de tudo um encontro de almas, tudo o resto são apenas pormenores.





FICHA TÉCNICA:
🎥 Realizador: Jong-Yeol Baek
🎬 Hyo-JanHan, ect... 
📼 2h07m; Drama/Romance
♥ 4/5


Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.