Balanço maratona #xmasmovietime

1.02.2017



O final do ano trouxe também o final da maratona cinematográfica #xmasmovietime promovida por mim e pela Chris. Hoje, venho então fazer o balanço pessoal da maratona e falar um pouco dos filmes que vi. Em termos de desafios, a maratona correu-me bastante bem pois consegui completar todas as categorias!  Vi filmes muito diversos, de diferentes anos e acabei por gostar, inevitavelmente, mais de uns do que de outros. Vamos então à lista:



Tudo o que o céu permite (1955) conta-nos a história de uma viúva de classe alta que se apaixona por um homem mais novo e modesto, e que encontra objecções pela parte da família e amigos. Vale sobretudo pela atmosfera, que combina realmente com esta época, e pela interpretação da Jane Wyman. É realmente um clássico romântico, terno, mas um pouco meldramático demais em certos momentos.
NOTA: ★★★☆☆ | FICHA: AQUI 

Hunt for the wilderpeople (2016) é um filme que chegou no ano passado às salas de cinema de muitos países mas que não estreou cá em Portugal. Conta a história de um miúdo orfão que vai morar com uma nova família adoptiva e que, devido a determinadas circunstâncias (que não vou contar), acaba por fugir com o tio para um bosque da Nova Zelândia, onde são perseguidos pela polícia. Eu gostei muito. Não sendo um filme espectacular, entretém bastante pois é leve e tem uma boa dose de humor e drama.
NOTA: ★★★ | FICHA: AQUI 


Zootopia (2016) dispensa apresentações. Tem sido considerado por muitos o melhor filme de animação do ano e confesso que tinha as expectativas em alta. Realmente, acabei por gostar muito deste filme apesar de não me ter arrebatado como esperava. Achei a animação bonita, o conceito inteligente e as mensagens transmitidas de extrema importância. E claro que adorei a Judy!
NOTA:  ★★★★½ | FICHA: AQUI 


O Conto dos Contos (2015) estreou o ano passado em Portugal e é um filme inspirado nos contos de fadas do italiano Giambattista Basile. Conta 3 histórias diferentes que acabam por se cruzar em alguns momentos. Gostei do seu tom bizarro e fantasioso mas não me consegui embrenhar a sério nas histórias, o que foi uma pena. Visualmente é um filme impressionante e a história acaba por ser mais fiel ao espírito negro dos contos de fadas originais.
NOTA: ★★★☆☆ | FICHA: AQUI 


Feliz Natal (2005) é realmente um filme perfeito para ver na quadra natalícia. Baseado em factos reais, conta-nos a história de uma trégua inesperada que surgiu no dia de Natal na frente de combate, durante a I Guerra Mundial. É um filme poderoso, sensível e que, de certo modo, ilustra bem quão ridículas são as guerras. Tem também boas interpretações e uma bonita cinematografia. 
NOTA: ★★★ | FICHA: AQUI 


Acerto de contas (2016) foi a grande desilusão desta maratona. Achei a história previsível e fraca e, sinceramente, não me entreteve muito. Gostei da interpretação do Ben Affleck e pouco mais. Conta a história de Christopher Wolff, um contabilista e prodígio matemático, que sofre duma forma funcional de autismo. e que é contactado por uma grande empresa para auditar as suas contas. Quando ele descobre bem mais do que espera, os seus verdadeiros dotes vêm ao de cima.
NOTA: ★★ | FICHA: AQUI 


Elle (2016) foi um dos filmes mais falados do ano passado e estava com imensa vontade de o ver. Conta a história de uma CEO de uma grande empresa que é violentamente agredida numa noite em sua casa. Recusando fazer o papel de vítima, esta começa a perseguir o agressor quando ele se dá a conhecer. Confesso que estava à espera de gostar mais; foi um filme que me deixou com uma mistura de sentimentos. No entanto, é sem dúvida um filme provocador e conta com uma excelente interpretação de Isabelle Huppert, apesar de não ter gostado da personagem que ela interpreta.
NOTA: ★★★☆☆½ | FICHA: AQUI 


 Já tinha falado que andava a ver esta série noutro post (aqui). Nesta maratona, consegui acabá-la e, sem dúvida, que valeu a pena. Esta é uma série de época com excelentes valores de produção e que se acompanha muito bem. Gostei mais dos episódios históricos que acabavam por se focar mais no Churchill e país do que na família real mas, de uma forma geral, todos eles são bastante bons. Gostei também da maioria das interpretações. John Litgow lá me convenceu com o seu Churchill mas o Matt Smith continua a não convencer no seu papel.
NOTA: ★★★ | FICHA: AQUI 


E vocês? Já viram algum destes filmes?







Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.