Filmes no Feminino | Obvious Child (2014)

4.26.2017



Na minha busca por filmes realizados por mulheres, a Catarina falou-me deste filme realizado por Gillian Robespierre e que logo pela sua premissa me despertou imenso a curiosidade. E no final foi um filme que acabou por me marcar pela sua realidade.
Donna Stern (Jenny Slate) é uma comediante de pouco sucesso. Após ser abandonada pelo namorado e despedida no emprego, ela acha que tudo está perdido, mas encontra Max (Jake Lacy), um rapaz gentil com quem passa uma noite. O resultado desse encontro é a gravidez inesperada de Donna. E agora, como contar ao homem que ela mal conhece?

O que mais me impressionou em Obvious child foi a sua realidade e o sentimento que nos transmitiu ao longo de toda a sua trama. De repente e olhando para lá é como que se de um reflexo da realidade se tratasse. Donna é uma rapariga normal, namora, trabalha numa livraria e faz stand-up de comédia num bar local. Sem grande sucesso, as suas apresentações são momentos calmos e divertidos onde ela faz comédia com o seu dia-a-dia, não se preocupando com o que os outros pensam daquilo que diz da sua própria intimidade e sem qualquer tipo de pudores, porque para ela essa é uma realidade de todos nós. Quem não acha piada é o seu namorado que acaba com ela. Donna fica meio desesperada e sem saber o que fazer porque de repente parece que a sua vida  deu uma volta de 180º com o término do namoro, o fecho da livraria onde ela trabalha e a pressão da mãe para arranjar um emprego melhor. Nisto ela tem uma noite de loucura onde faz sexo sem protecção e acaba grávida. E é aí que ela se vê sem chão, grávida de um desconhecido e com a decisão de querer abortar. 

Esta é a história da Donna e de muitas outras mulheres no mundo e o filme só tenta desmistificar a questão do aborto. Não o torna uma coisa banal, mas sim uma atitude de alguém que não tem a estabilidade emocional e financeira para cuidar de uma criança. E o filme aborda o tema sem tabus ou preconceitos, olhando como se o aborto fosse uma opção desde o início e não um recurso de última hora. Olhar para as questões da sociedade desta forma é desmistificar as coisas e torná-las parte da nossa sociedade. No meio disto tudo, Donna, com este acontecimento, acaba por começar a repensar a sua vida e a viver um bonito romamce com o tal caso de uma noite, que à partida não seria nada o género dela, mas que acaba por ser aquele que a faz feliz e que acaba por compreender as suas decisões.


O filme é meio indie, sem uma realização espectacular, com um elenco um pouco desconhecido e cenários não tão fantásticos, e isto torna o filme mais próximo do espectador fazendo com que este se sinta também parte do filme e se consiga relacionar. É um filme importante pela sua mensagem, acaba por não ser marcante em termos de espectacularidade de história, mas é acima de tudo um filme bonito de se ver por todo o seu conjunto. Gostava que se fizessem mais filmes a abordar questões importantes da nossa sociedade da mesma forma como que o aborto foi abordado neste filme. Talvez todos nós passássemos a encarar os problemas com outros olhos e perspectivas. Um filme que recomendo.


FICHA TÉCNICA:
🎥 Realizador:
Gillian Robespierre
🎬  
Jenny Slate, Jake Lacy, Gaby Hoffmann
📼 84 min; Comédia, Drama
♥ 3,5/5



Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.