Barracuda (minissérie 2016)

6.09.2017

Barracuda é uma minissérie Australiana baseada num livro do autor Christos Tsiolkas. Embati com a série quando andava à procura de mini-séries para ver e fiquei logo com curiosidade para assistir. E confesso que acabou por me surpreender.

Barracuda conta-nos a história do Danny Kelly, um rapaz do secundário que acaba de ganhar uma bolsa para estudar num dos melhores colégios com um bom programa de natação. Lá ele começa a dar nas vistas como nadador e começa a almejar os grandes campeonatos e os grandes títulos. Não sendo bem aceite pela equipa do colégio ele acaba por ter mais força para nadar e ao ajudar a ganhar um dos títulos para a escola é apelidado de Barracuda, numa alusão ao peixe com o mesmo nome. Só que na alta competição as coisas não são tão fáceis como se pensa e nem sempre há lugar às amizades, aos amores, à família e ao respeito por si próprio.

Esta é uma minissérie de quatro episódios e quase uma hora cada que me surpreenderam pela positiva. Barracuda conta-nos a história da ambição de um atleta pelos títulos, mais do que o amor pela água e pela natação, ganhar e ser o melhor estavam nos planos. E essa sede de poder e de vitória foi das coisas que mais gostei de ver retratadas na série. Vemos um atleta que é capaz de passar um pouco por cima de tudo e de todos, de deixar a família, os amigos e os estudos de lado para perseguir um sonho, um objectivo, uma ambição. Toda essa parte de esforço, de dedicação, de ganhos e perdas foi muito bem explorada na série e aquilo que nos agarra a querer ver mais e mais. É também nesta luta que irá surgir um interesse amoroso por um colega da sua equipa que o irá levar a tomar actitudes irresponsáveis principalmente ao tentar ganhar e mostrar ser o melhor por esse amor, levando à perda de auto-estima e de vontade por alguém que não quer assumir publicamente tudo aquilo que se passava. Esta é aliás uma das partes da série menos explorada, mas que quando o é, é na dose certa. Pelas pesquisas que fiz a história é um pouco baseada num atleta de natação australiano que nem sempre teve sorte na sua carreira e que acabou por revelar ser homossexual quando a sua carreira terminou.  

Esta é aliás uma série, e que acredito que o livro também o será, que explora bem a ascensão de um rapaz humilde, o auge do poder, a queda e por fim a redenção. Todas estas batalhas interiores são muito bem exploradas em alguém que só queria vencer e mostrar ser o melhor, talvez pelas razões erradas, mas que acaba no fim por entender qual o melhor caminho para chegar a essa vitória. Nem sempre os grandes homens fizeram os grandes feitos, e por vezes pequenos gestos fazem de nós grande campeões. 

A série está bastante bem produzida, uma coisa que a Austrália já nos vem habituando, e contém cenas muito interessantes e muito bem produzidas na piscina, quando estão a nadar. Essas partes, talvez pela adrenalina sejam para mim as favoritas. A série peca pela actuação dos personagens que não estiveram no seu melhor, talvez pela grande maioria ter neste série a sua primeira experiência como actores, mas também peca por vezes o argumento, a realização e a edição ao cortarem cenas um pouco sem sentido e a continuarem noutras cenas que acaba por cortar um pouco o clima, problemas esses que percebi foram sendo resolvidos ao longo dos episódios.



Esta foi uma minissérie que me surpreendeu pela força dos temas e aquilo que nos transmite. Lutar por algo que queremos nem sempre é fácil, lutar no mundo da alta competição não o é de todo. Lidar com egos, corrupção, altos níveis, medalhas, vitórias e perdas, é muito competitivo e não é definitivamente para todos. 


Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.