Rússia | Loveless (2017)

2.15.2018

Hoje no À volta do mundo, vamos até à Rússia com um filme que está nomeado aos Oscars este ano, na categoria de melhor filme estrangeiro. A temática é dura e o filme muito bem produzido, e hoje falo-vos dele.

Um casal em processo de divórcio é forçado a unir-se para encontrar o filho que desapareceu durante uma das suas discussões.
A história central foca-se numa família disfuncional que está em processo de divórcio. Eles já arranjaram novos companheiros, mas ainda não conseguiram oficializar o fim da relação e também não se conseguem decidir quanto à guarda do filho em comum o Alyosha. Ele, cansado das discussões entre os pais, vive um pouco isolado no seu mundo e os pais acabam por não lhe ligar muito, afinal estão mais preocupados com as suas vidinhas. Uma noite Alyosha acaba por ouvir uma discussão entre ambos e acaba por perceber que os pais não gostam mesmo dele, ou que pelo menos estão tão preocupados consigo mesmos que se esquecem por momentos que têm um filho. E ele um dia, sem que ninguém perceba, simplesmente desaparece.

Loveless é um filme Russo, e tal como eles este é um filme frio, despojado de grandes sentimentos e de grandes entusiasmos. Temos como figuras centrais um casal que não se conseguindo resolver quanto ao divórcio, à casa ou ao destino a dar ao filho acaba por viver um ciclo vicioso de discussões e culpas. A frieza com que estes sentimentos nos são passados é dura, afinal estamos a falar de um casal que acaba por se esquecer do próprio filho e por dar mais importância aos novos companheiros e àquilo que estão a sentir nas novas relações do que com aquilo que o seu filho está a sentir. Quando o Alyosha desaparece aí ficamos a conhecer a frieza dos serviços de polícia da Rússia que acaba por pouco ou nada fazer por uma criança menor desaparecida e que delega essa função para um grupo de voluntários especializado na busca de crianças desaparecidas. Os pais esses, pela primeira vez na vida vão-se aperceber da grande asneira que fizeram que poderá ser mesmo irremediável. É duro assistir a este filme e pensar numa situação destas na vida real. 

O filme está muito bem pensado e realizado, utilizando muito bem as cores naturais que a Rússia nos pode proporcionar na sua altura de mais inverno. O início do filme funciona muito bem ao utilizar o seu tempo para nos contar como que a história de cada um dos personagens. A mãe de Alyosha muito preocupada com as redes sociais e com o seu novo namorado mais velho. O pai, sempre preocupado com o seu trabalho e os seus chefes conservadores. E é por isto que o filme nos mostra dois ritmos muito distintos, o primeiro mais animado e com mais histórias a acontecer e o segundo mais lento e o que retrata a época das buscas. E acho que foi esta grande quebra de ritmos que me fez não ficar tão entusiasmada com o filme e lhe dar apenas as três estrelas, ou talvez porque eu quisesse saber mais, mais do que aquilo que nos é contado no filme. Mas isso é o meu lado mais paternal, algo que é muito bem abordado neste filme e pelo qual tenho que lhe tirar o chapéu. O mesmo mostra-nos que há pessoas que simplesmente não nasceram para ter filhos, e essa é uma dura realidade. 

Este é um filme duro, que vale muito a pena ver. Acabei por não gostar tanto do seu ritmo nem do seu final, mas acho que lhe devem dar uma oportunidade. 


Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.